Blockchain e cibersegurança: uma breve aproximação (parte 1)

ElevenPaths    17 septiembre, 2019

O blockchain vai mudar as regras da tecnologia da informação da mesma maneira que o software de código aberto o fez há alguns anos, ou como fez o Linux para o desenvolvimento de aplicações modernas. A dúvida que surge é quanto tempo vai demorar para que a tecnologia blockchain se converta em um padrão de mercado para proteger as informações compartilhadas entre redes abertas e privadas? Todas as informações apontam que esse cenário não demora muito para se tornar realidade.

Em termos simples, o blockchain não substituirá os bancos de dados relacionais, o modelo ao qual estamos todos acostumados, mas criará um novo paradigma para os dados transacionais dentre (e fora) das empresas, isso é disruptivo por si só.

Conceitualmente, isso é o TCP/IP aplicado ao mundo dos negócios e das transações. Nos anos 70 e 80, não se podia imaginar o quanto o protocolo de comunicação era robusto e escalável como se mostrou, agora sabemos que o TCP/IP nos permite utilizar todas as funções e aplicações na web. O blockchain tem o mesmo potencial. Falando sobre a parte que nos interessa mais, a cibersegurança vai aumentar em efetividade, na teoria o as aplicações incluem a prevenção de fraude, detecção de manipulação de dados, encriptação e auditoria. Algo genial! Além disso, tudo funciona de maneira descentralizada, em uma rede compartilhada em que cada um dos participantes conhece seu papel.

Um blockchain é a compilação de registos conhecidos como blocos, protegidos por criptografia. Cada um desses blocos compartilha informação de outros blocos da cadeia, dados sobre transações e timestamps. Quando se completa um bloco o sistema atribui a ele um código seguro único que o vincula ao próximo a ser criado, temos uma rede peer to peer, combinada a um servidor distribuído de timestamp, com administração autônoma. Não há necessidade de um administrador, na verdade os usuários do blockchain são os administradores.

Além disso, as redes de blockchain podem ser usadas para contratos inteligentes ou scripts que são executados automaticamente quando cumpridas determinadas condições. Por exemplo, os usuários da criptomoeda Ethereum devem cumprir as condições pré-determinadas que provam que aquela pessoa detém o dinheiro que diz possuir. Os usuários de múltiplas blockchain podem criar contratos que requem mais do que um conjunto de entradas para ativar uma transação.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *